Roberto Requião

Endereço:

Curitiba, Paraná
Brasil

Descrição

Roberto Requião de Mello e Silva(Curitiba, 5 de março de 1941) é um advogado, jornalista, urbanista e político brasileiro.
Membro de influente família política paranaense, é filho do médico e ex-prefeito de Curitiba, Wallace Thadeu de Mello e Silva, e Lucy Requião. É casado com Maristela Quarenghi de Mello e Silva, com quem tem dois filhos, Maurício e Roberta.
É advogado formado pela Universidade Federal do Paraná e jornalista pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Cursou também urbanismo na Fundação Getúlio Vargas.
Durante toda sua vida política foi membro do Partido do Movimento Democrático Brasileiro(PMDB), sucessor do antigo Movimento Democrático Brasileiro (MDB), o partido de oposição à ditadura militar.
Governou o estado do Paraná até 1º de abril de 2010, quando renunciou ao cargo para poder se candidatar ao Senado, sendo eleito senador pelo Paraná.
Na sucessão de Jaime Lerner, em 2002, houve um dos maiores embates políticos da história do Paraná. Antes aliados, agora adversários políticos, Roberto Requião e Álvaro Dias disputaram as eleições para o governo do Estado. Álvaro Dias foi o primeiro colocado no primeiro turno com 1,62 milhão de votos (31,40%) contra 1,35 milhão de Requião (26,18%). No segundo turno, Requião venceu com 2,68 milhões de votos (55,15%) contra 2,18 milhões de Álvaro.
Parte do PMDB que defende candidatura própria, chancelou apoio à Roberto Requião. Requião com o apoio da maioria dos peemedebistas dos seguintes estados: São Paulo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Pernambuco, Goiás e Piauí. Enquanto a executiva do PMDB apóia a candidatura do Partido dos Trabalhadores encabeçada por Dilma Rousseff, Requião busca na militância o apoio e registrou a sua pré-candidatura na sede do partido .
Nas eleições estaduais no Paraná em 2014, Requião novamente se candidatou a governador do Paraná, tendo como candidato a vice Rosane Ferreira (do PV). O candidato do PMDB formou a coligação Paraná com Governo com o PV e o PPL, recebendo também o apoio do Polo Comunista Luiz Carlos Prestes (PCLCP), partido sem registro no TSE. Requião ficou em segundo lugar com 1.634.316 votos (27,56%), perdendo para Beto Richa(PSDB).