Liandro Marcos Jagnow

Endereço:

Cunha Porã, Santa Catarina 89.890-000
Brasil
Entre em Contato

Descrição

A cidade de Cunha Porã tem suas origens explicadas pelos movimentos migratórios por todo país, atingindo sua maior hegemonia no período compreendido entre o final do século XIX e o início da terceira década do século XX.

Cunha Porã expressa graficamente traduzida para a grafia portuguesa duas palavras de origem tupi-guarani que conjuntamente significam MULHER (cunhã) BONITA (porã).

O nome escolhido é bem sugestivo e faz nossas imaginações navegarem num túnel do tempo para encontrarmos quem sabe as lindas “Valquírias” que tanto sensibilizaram os descendentes de alemães que para aquelas terras se dirigiram.

O nome da cidade foi uma sugestão do Engenheiro Carlos Culmey em 1928, naquele então diretor da Cia. Territorial Sul Brasil para uma nova povoação projetada numa região mais ao norte de Palmitos, destinada àqueles imigrantes protestantes de origem alemã provenientes do estado do Rio Grande do Sul. À época já se esgotavam os lotes disponíveis em Palmitos e novos horizontes precisavam ser povoados. E já que as terras eram férteis de um solo rico. Por que não colonizar?

E assim tem sido desde 1929 quando os primeiros colonizadores se embrenharam naquelas matas fechadas para criarem o primeiro povoado; donde naturalmente surgiram Lideranças que impulsionaram o progresso com a força de seus propósitos. De seus braços.

Liandro Marcos Jagnow faz parte desse seleto grupo de líderes que faz Cunha Porã despontar para o cenário nacional.

Cunha poranense de corpo e alma nasceu a 11 de dezembro de 1976, para a alegria e satisfação da família Jagnow; liderada pelos progenitores o senhor Arlindo Normildo e Isolda Laura Müller.

Tem união estável desde agosto de 2007 com a senhora Deisi Marla Kempfer que é lotada na função de funcionária pública. O casal deu a luz à pequena Luiza, fruto de suas mais justificadas preocupações no que concerne ao encaminhamento educativo e psicológico.

Sua história de vida resume a vida dos homens do campo que desde pequenos já mantém intensas relações com a terra. Em assim sendo permaneceu até meado dos 14 anos vinculado à agricultura, auxiliando de todas as formas seus pais. Naquele período se dedicavam à extração e comercialização do leite; entre outras atividades.

Entretanto entre os 14 e 17 anos de idade vivenciou o regime de semi-internato no colégio agrícola, fato que evidentemente o manteria algum tempo longe de casa e de seus familiares. Entre dezoito e dezenove anos experimentou diferentes momentos profissionais em atividades como frentista, servente de pedreiro, produtor de mudas de eucalipto e erva mate.

Concomitantemente às suas atividades esteve logicamente buscando sua formação educacional e seu primeiro passo nessa direção se deu na Escola Básica Tupinambá encontrada na localidade de Linha Vera Cruz. Lá ele cursa e conclui o primário, para depois dar seqüência aos estudos no curso de ginásio no Colégio Estadual Professor Patrício João de Oliveira também em Cunha Porã. Foi exatamente naquele período compreendido entre 14 e 17 anos que ingressa para o segundo grau no Colégio Agrícola de Frederico Westphalen (RS).

Profissionalmente veio estabilizar-se quando em 1995 após participar de concurso público municipal e ser aprovado ingressar para a prefeitura; isso ocorrendo efetivamente em janeiro de 1996. Lotado para o setor de movimento econômico como responsável pelo controle dos blocos de produtor rural da secretaria de agricultura, exerceu suas responsabilidades com muito comprometi-mento até ser licenciado da prefeitura para; no período compreendido entre 2003 e 2004, trabalhar para CIDASC; no setor de fiscalização sanitária na divisa do estado com o Rio Grande do Sul.

Após esse período vem exonerar-se da autarquia para concorrer às eleições municipais como candidato a vereador. No ano de 2005 retorna à prefeitura exatamente para o setor onde estava lotado. Nele permaneceu até 2007. No mês de Setembro do mesmo ano é indicado para trabalhar na Secretaria Regional da cidade de Palmitos exercendo o cargo de Diretor Geral da Secretaria de Desenvolvimento Regional – SDR. Permaneceu naquelas funções até meados de 2008, para, em se afastando, concorrer ao cargo de Vice-Prefeito em sua cidade natal.Ao final do ano de 2008 deixou de ser funcionário publico municipal de Cunha Porã se exonerando definitivamente.

Com a vitória de sua chapa para assumir o cargo de Vice-Prefeito em 2009, foi nomeado a partir de janeiro do mesmo ano para o cargo de Secretário da Infra-Estrutura – Secretaria de Obras, função que exerce até o presente momento.

Sociável e de vida social muito articulada, desde a adolescência participa direta ou indiretamente de associações beneficentes. Teve destacada participação quando de sua ocupação como membro do grupo de jovens da Igreja Evangélico de Confissão Luterana no Brasil, entre os 17 e 22 anos de idade atuando junto à Presidência do grupo.

Entusiasta da política partidária, tão logo completou a idade legal veio filiar-se ao PFL e de imediatamente foi fazer parte da direção municipal do partido. Seu objetivo era ser presidente da ala jovem do partido e alcançou esse objetivo sem muita dificuldade.

A influência positiva do irmão Eldimar Claudio Jagnow levou-o a ser ponderado e esperar sempre o melhor momento para agir. Nessa linha veio pouco tempo depois assumir a Presidência do Diretório Municipal do PFL adulto, fato ocorrido mais tarde com a sucessão e transformação do PFL em DEM.

Com a tendência do DEM em mudar o nome da sigla para PSD; nesse quesito Liandro foi indicado para presidir a Comissão Provisória do novo partido. Tamanha sua capacidade de articulação e popularidade foi indicado por membros do partido, familiares e amigos a participar de uma campanha política e isso o fez em 2004 concorrendo a uma vaga para o parlamento da cidade e após o período de campanha eleitoral vê todo seu esforço ser recompensado, elegendo-se vereador contabilizando 322 votos pelo PFL tendo sido o mais votado do partido.

Em estando vereador e ocupando uma cadeira junto ao Legislativo Municipal, teve um desempenho elogiável por todos os companheiros, principalmente pela sua capacidade de angariar recursos e subvenções sociais. Uma de suas articulações através de emenda parlamentar consegue R$80.000,00 reais, dinheiro suficiente para aquisição de uma UTI móvel através do deputado Gelson Merisio.

Em seu período legislativo exerceu a Vice-Presidência da Câmara Municipal em dois períodos distintos, o primeiro entre os anos de 2005 e 2006 e o segundo entre os anos de 2007 e 2008. Destaca-se ainda de sua participação junto ao legislativo sua participação como Relator da reforma da Lei Orgânica e do Regimento Interno. Teve ainda a aprovação de inúmeras subvenções sociais que foram distribuídas entre entidades filantrópicas diversas.

Em 2008, chamado à responsabili-dade de emprestar seu nome para concorrer às eleições majoritárias na condição de Vice-Prefeito vem uma de suas mais saborosas vitórias junto ao companheiro de chapa e Prefeito eleito Euri Ernani Jung.

Atuante, dinâmico e político de visão; definir Liandro Marcos Jagnow é atribuir-lhe características de solidariedade porque sempre exerceu um trabalho a favor do coletivo e sua frase melhor do que ninguém define sua condição política e moral:

A maior grandeza ou a maior virtude de um político e ser flexível. A maior virtude ou a maior qualidade de um ser humano está ligada à humildade e a capacidade de perdoar.