Antonio da Silva Silveira

Endereço:
Rua 11, 120 Centro
Casa
Balneário Gaivota, Santa Catarina 89.950-000
Brasil
fone:
ver fone(48) 3583-0706
celular:
ver celular(48) 9620-1920

Descrição

Antonio da Silva Silveira é uma pessoa simples que transmite muita simpatia e tranqüilidade. Natural de Sombrio nascido a 02 de junho de 1940, o senhor Antonio revela em sua vida uma capacidade incrível de relatar fatos ocorridos há mais de cinqüenta anos, tornando-se uma memória viva dos principais acontecimentos na região.

O segundo filho mais velho de oito irmãos gerados pelos pais o senhor Manoel Aniceto Silveira e Maria da Silva Silveira, iniciou sua vida profissional bem cedo. Aos oito anos de idade sem que o pai o pressionasse de qualquer forma começou por vontade própria trabalhar junto à Fecularia do senhor Paulo Isoppo local aonde permaneceu por quatro anos consecutivos, demonstrando estabilidade nos empregos porque passou desde pequeno. Ainda um detalhe importante a se acrescentar: o senhor Antonio trabalhava no período noturno das zero horas até as 12 horas do dia porque estudava a tarde. Aos 12 anos de idade foi convidado e aceitou trabalhar na Olaria de Telhas do senhor Antonio Felicidade lá permanecendo por dois anos. Lembra com saudosismo que apesar de ter um pai bastante abastado em terras se vivia normalmente com dificuldades e era preciso trabalhar muito para conseguir o dinheiro. Recorda que em sua primeira participação na tradicional Festa de Santo Antonio comprou sua primeira gravata, mas o par de sapatos lhe foi dado pelo patrão e amigo para que pudesse ir bem calçado naquele evento.

Aproximadamente aos dezesseis anos ingressou em uma padaria, onde além de ajudar na produção dos pães, fazia ele próprio as entregas. Nada fácil, aliás, porque eram feitas no dorso de um cavalo, carregando quatro sacolas grandes de pães para serem entregues em todas as comunidades vizinhas, era comum que ao fazer a travessia do rio; a água chegava a altura da barriga do animal e não era difícil as vezes em que o cavalo pisava em falso e colocava todo mundo e mercadorias água a dentro fazendo com que o rapaz voltasse para a padaria para repor a mercadoria perdida.

Mas o seu trabalho mais duradouro viria a seguir, quando foi empregar-se na Selaria Tiscoski de propriedade do Senhor Guilherme Tiscoski onde permaneceu por muitos anos e veio mais tarde, desta feita com sua própria fábrica de artefatos de calçados se aposentar. Em mais um de seus interessantes relatos, recorda-se de como as mercadorias fabricadas na cidade eram levadas a outros importantes centros como Araranguá e Criciúma levados por uma carroça que fazia o percurso todo levando quase um dia para alcançar Criciúma, em função principalmente da falta de boas estradas. No final dos anos cinqüenta só os grandes empresários tinham automóveis, não eram muitos na cidade, mas se recorda do Ford 1946 do Senhor Guilherme Tiscoski em que viajaram para Porto Alegre e ficaram fascinados ao verem que a capital gaúcha era toda iluminada por lâmpadas incandescentes, porque na região onde moravam isso ainda não existia.

Em 1960 o senhor Antonio veio contrair matrimonio com a senhora Maria Gomes Silveira que é professora aposentada – e com ela constituiu uma longa vida de muito amor e realizações, dizendo com orgulho que já festejou suas bodas de ouro com a companheira. O casal tem sete filhos para se orgulhar, e destacam que um dos filhos; o Luciano de Oliveira é adotivo.

Foi levado para a casa dos Silveira porque o senhor Antonio entendeu que o menino tinha uma vida muito difícil e sua infância corria sério risco; e com o consentimento dos pais conseguiu sua adoção. Hoje com muito orgulho o pai adotivo conta que o menino formou-se na Escola Agrícola e que tem um bom emprego na cidade de São Paulo.

Mas a vida foi rolando e num momento de muita dificuldade financeira ele e o amigo Catarina haviam tido a idéia de montar uma fruteira no centro da cidade de Sombrio, mas não tinham capital. Certa vez o senhor BB – que era gerente de um banco - viu os dois rapazes tristes num banco da praça e indagou os mesmos para saber o que estava acontecendo. Foi aí que o senhor Antonio revelou seu sonho de ter uma Kombi para poder fazer a entrega das frutas. O amigo BB que sabia da idoneidade dos rapazes se prontificou a ajudá-los e conseguiu para eles o financiamento de uma Kombi azul para iniciar seus negócios. Por muitos anos o senhor Antonio distribuiu frutas buscadas no Rio Grande do Sul, abastecendo não somente sua fruteira como também uma imensa região aqui no sul do estado. Mais tarde depois de terminar a parceria com o amigo Catarina, iniciou a distribuição de peixes principalmente para cidades paranaenses com um excelente grau de sucesso nos negócios. Foi nesse período talvez, que realizou uma das mais importantes obras de sua vida quando atravessou para o lado paraguaio para resgatar um homem que vivia um cativeiro no país vizinho e não sabia como retornar para o Brasil e ainda Santa Catarina, sua terra natal. Com uma manobra audaciosa; movido pelo sentimento fraternal de trazer um pai de volta para o seio de sua família ele concretiza a aventura para a felicidade de toda família.

Se pode evidentemente esperar que uma vida tão intensa vivida pelo senhor Antonio e sua simpática família o levassem a trilhar os caminhos da política, inevitavelmente. Isso teve inicio antes mesmo de Balneário Gaivota tornar-se município, com sua adesão ao PFL, desde a era Khonder Reis e Bornhausen. Apoiou já nos primeiros dias, a campanha vitoriosa do ex Prefeito Everaldo João Ferreira no ano de 1997. Naquela oportunidade atuou apenas como militante político. Mas no ano de 2000 na campanha, também vitoriosa, do prefeito Valcir Ferreira Pereira teve uma surpresa: é que o candidato a prefeito solicitou veementemente que Antonio se candidata-se a Vereador. Antonio alegou que não teria condições financeiras para isso, mas o prefeito garantiu que seu nome era bom e o povo haveria de reconhecer isso. Faltaram apenas alguns votos e o senhor Antonio ficou na primeira suplência. Mas algum tempo depois foi convidado pelo prefeito para trabalhar no setor de saúde.

É fato reconhecido que Antonio da Silva Silveira por sua história e generosidade teria êxito em sua segunda campanha eleitoral, e desta feita sagrou-se vereador com 248 votos e reeditou sua conquista no pleito de 2008 com a quantidade de 231 votos. Uma de suas maiores realizações e antiga reivindicação de todos os moradores da cidade era a pavimentação da Avenida Beira Mar na parte central do balneário. O nobre parlamentar empenhara esforços para conseguir subvenção para que a pavimentação viesse ocorrer e já havia conseguido verba através do Deputado Julio Garcia do PFL para que isso viesse se concretizar, mas em decorrência do não atendimento às exigências burocráticas, ainda não fora desta vez que isso ocorreria. Só mais tarde no bom governo do prefeito João Bonamigo é que foi realizada esta obra que configura o desejo de todo cidadão gaivotense.

Antonio da Silva Silveira, não apenas como parlamentar, mas agora com o encargo de Presidente da Câmara de Vereadores de Balneário Gaivota, justamente a ele conferido pelos seus pares na Casa Legislativa, deseja de todas as formas auxiliar no desenvolvimento socioeconômico de sua cidade, como observa a importância em se manter o orçamento da Casa Legislativa em seus limites atuais para que se possam realizar com eventuais economias novas obras para o conforto e a atração de mais turistas, porque é basicamente disso que vive o balneário.